JOSÉ MARIA PEDROTO

21-10-1928

Almacave, Lamego

1º 18-09-1966 Varzim 0 Porto 3 (CN, 1ª)

Últ. 30-03-1969 Porto 2 U. Tomar 2 (CN, 24ª)

1966-67 (38) 26.CN  2.TF  10.TP

1967-68 (39) 26.CN  2.TF  11.TP   TP

1968-69 (40) 24.CN  4.TT  2.TP

1º 04-09-1976 Porto 3 Portimonense 0 (CN, 1ª)

Últ. 07-06-1980 Benfica 1 Porto 0 (TP, Final)

1976-77 (48) 30.CN  2.TU  7.TP   TP

1977-78 (49) 30.CN  6.TT  8.TP   CN

1978-79 (50) 30.CN  2.TC  1.TP   CN

1979-80 (51) 30.CN  4.TC  7.TP

1º 21-08-1982 Portimonense 1 Porto 2 (CN, 1ª)

Últ. 04-12-1983 Penafiel 0 Porto 1 (CN, 10ª)

1982-83 (54) 30.CN  4.TU  1.TP

1983-84 (55) 10.CN  4.TT  3.TP   TP

236. Campeonato Nacional

6. Taça dos Campeões

14. Taça das Taças

6. Taça U. E. F. A.

4. Taça das Feiras

50. Taça de Portugal

316. TOTAL

2 CAMPEONATO NACIONAL

3 TAÇA DE PORTUGAL

 

Lutador nato, José Maria Pedroto ganhou todas as batalhas com excepção da derradeira, travada contra um adversário invencível, que o vitimou a 8 de Janeiro de 1985. A cidade do Porto inteira parou para o chorar e o seu cortejo fúnebre demorou três horas, ao longo de um percurso pejado de bandeiras azuis e brancas, das Antas ao Cemitério de Agramonte, onde ficou sepultado, no Mausoléu do Clube, ao lado de “Pavão” e de “Pinga”, o seu primeiro ídolo. Poucas horas antes da sua morte, já muito debilitado e na presença de seus familiares, de Jorge Nuno Pinto da Costa e de Domingos Gomes, fez um gesto para que lhe dissessem o resultado do jogo que o F. C. Porto disputara em Faro, para a Taça de Portugal. Quando Pedro Nuno, o filho, lho comunicou, José Maria Pedroto ficou sossegado, e descansou…