1906

 

2 DE AGOSTO

 

REACTIVAÇÃO DO FOOTBALL CLUB DO PORTO

 

JOSÉ MONTEIRO DA COSTA

 

 

Incentivado por António Nicolau d´Almeida, seu amigo, e influenciado também pelo que vira numa viagem a Inglaterra, José Monteiro da Costa, com apenas 24 anos, junto com onze dos seus companheiros do “Grupo do Destino” – Joaquim Rodrigues de Freitas, António Martins, António Elizabeth de Mesquita, Jeronymo Monteiro da Costa, Silvério Pinto Monteiro, Joaquim Mendes Correia, António Moreira da Silva, Cândido Pinto Mota, Eugénio Machado Costa, Catullo Gadda e Gaspar José de Sousa – aos quais se juntaram Romualdo Torres, Eduardo Dumont Villares, José Bacelar, Antunes Lemos e António de Oliveira Cálem, decide reactivar e liderar o Football Club do Porto, agora com uma existência mais organizada, consistente, institucionalizada – com emblema, equipamento, campo de jogos – e ao qual se adicionou à sua designação inicial “Sociedade Sportiva”.

O seu campo de jogos, o primeiro relvado em Portugal, situado na Rua da Rainha, construído em terrenos alugados – 1.200 Reis [1,20 Escudos] anuais – pelo próprio José Monteiro da Costa – com a preciosa ajuda de seu pai Jeronymo Monteiro da Costa, presidente da Comissão Instaladora – à Companhia Hortícola Portuense nas traseiras da casa do presidente portista, acabaria por transformar-se num parque desportivo com campo de football, uma “majestosa” tribuna de honra, uma fila de bancos, capacidade para cerca de 600 pessoas, um balneário, um bar, um campo de ténis e um espaço para as mais diversas práticas de ginástica e atletismo. Estas instalações foram inauguradas, solenemente, durante um jogo-demonstração, em Dezembro, com os ingleses do The Boavista Footballers, tendo o Football Club do Porto alinhado com Carlos Vouga Pinheiro, Catullo Gadda, António Elizabeth de Mesquita, Joaquim Mendes Correia, António Martins, Joaquim Boadda, José Bastos, Manuel Araújo, Alfred Hardy, José Monteiro da Costa e Joaquim Rodrigues de Freitas. Presentes também Romualdo Torres, Williams Chambers, Taylor, Antunes Lemos, António Campos, António de Oliveira Cálem, Eduardo Dumont Villares, Ernesto Sá, Virgílio Rodrigues e António Pinheiro.

 

 

A primeira sede do Football Club do Porto situa-se na antiga sede do “Grupo do Destino”, na Rua da Fábrica, sendo a renda paga pelo próprio José Monteiro da Costa.

 

 

 

 

1907

 

A 9 de Fevereiro, no primeiro ato eleitoral do F. C. Porto, José Monteiro da Costa é formalmente eleito seu Presidente. António Nicolau d´Almeida, por não ter aceite o insistente convite que lhe foi endereçado para assumir o cargo de Vice-presidente, indica Romualdo Torres, seu companheiro de “sonho
” desde os primeiros dias, para o seu lugar. Nesta mesma data é apresentado o primeiro projecto de estatutos, redigido pelo Presidente da Comissão Instaladora, Jerónimo Monteiro da Costa.

A 19 de Março, o F. C. Porto bate o Grupo Leixões Footballers por 5-1.

A 22 de Março, em partida frente ao The Oporto Cricket and Lawn Tennis Club, perde por 2-0.

Por esta altura, o F. C. Porto conta com uma centena de associados.

Em Abril, a sede do F. C. Porto é transferida para o seu Parque Desportivo, na Rua da Rainha.

O francês, Adolphe Cassaigne, assume a liderança técnica do team de football, tornando-se, assim, no primeiro treinador oficial da história do F. C. Porto.

 

 

 

A 8 de Dezembro, no Campo da Rainha, vitória sobre o Leixões S. C. por 6-3.

A 15 de Dezembro, disputa-se o primeiro match entre uma equipa portuguesa e uma equipa estrangeira em solo português. O adversário do F. C. Porto foram os espanhóis do Real Fortuna Football Club, de Vigo.

 

A 22 de Dezembro, no Campo da Rainha, o F. C. Porto é derrotado pelo The Boavista Footballers por 5-1.

 

 

1908

 

A 12 de Janeiro, nova visita do Real Fortuna F. C. à cidade do Porto, para nova partida amigável frente ao F. C. Porto, disputada no Campo da Rainha.

A 31 de Janeiro, o F. C. Porto retribui as duas visitas dos galegos, deslocando-se a Vigo para a disputa de novo amigável frente ao Real Fortuna F. C.

A 9 de Fevereiro, José Monteiro da Costa é reeleito como Presidente do F. C. Porto.

Fevereiro, o F. C. Porto conta com cerca de 180 associados.

A 31 de Outubro, no Campo da Rainha, o F. C. Porto recebe o Leixões S. C.

 

O F. C. Porto desloca-se a Lisboa, onde defronta e vence o Sport Clube Império por 1-0.

 

 

A 31 de Dezembro, o F. C. Porto conta com 237 associados.

 

 

1909

 

Em Junho, festival atlético no Campo da Rua da Rainha.

Em 9 de Outubro, são aprovados os primeiros estatutos e regulamento interno do F. C. Porto. É ainda apresentada a proposta por parte de Nuno Salgueiro – Secretário da Direção – de alteração do nome do clube para “Clube Athletico do Porto” ou “Sociedade Athletica”, mas, Romualdo Torres, ajudado com a preciosa, vigorosa e apaixonada intervenção de António Nicolau d´Almeida, conduz os associados a não a aprovarem.

Vitória em Lisboa, no Campo do Lumiar, em jogo frente ao Club Internacional de Football, por 3-1.

 

 

A 31 de Dezembro, o F. C. Porto conta com 285 associados.

 

 

1910

 

A 19 de Março, novo jogo no Campo do Lumiar, em Lisboa, frente ao Club Internacional Football, com os lisboetas a vencerem desta vez por 2-1.

 

A 3 de Abril, em novo desafio amigável disputado no Campo da Rainha frente aos espanhóis, o F. C. Porto bate o Real Fortuna F. C. por 2-1.

A 16 de Outubro, nova reeleição de José Monteiro da Costa como Presidente do F. C. Porto.

A 18 de Outubro de 1910, um grupo de associados decide homenagear José Monteiro da Costa [já bastante adoentado] instituindo uma taça com o seu nome a ser disputada pelas 3.ªs categorias. A Comissão Organizadora seria formada pelos associados José Fernandes da Silva, José Bacelar, Ivo lemos, Marques e Silva, Adelino Costa, Fróis Cruz e Vitorino Pinto.

 

 

1911

 

A 30 de Janeiro, com apenas 29 anos, após doença prolongada, falece José Monteiro da Costa.

 

Instala-se um profundo pesar nas hostes do F. C. Porto, pela morte do seu carismático Presidente.

A 16 de Março, é instituída uma Comissão Administrativa, sendo eleito para a sua presidência Júlio Garcez de Lencastre.

 

A Comissão Administrativa, presidida por Júlio Garcez de Lencastre, decide transformar a Taça José Monteiro da Costa em troféu destinado às 1.ªs categorias, tornando-se esta, oficiosamente, no primeiro Campeonato do Norte.

A 9 de Abril, na sequência da homenagem a José Monteiro da Costa, o F. C. Porto conquista a Taça – em prata e com um custo de 60 Escudos – com o nome do seu falecido Presidente, batendo o Leixões S. C. por 1-0, depois de na semana anterior, a 2 de Abril, ter vencido o Boavista F. C. por 3-1.

 

A 23 de Abril, visita ao Porto dos franceses do Vie Au Grand Air du Médoc, tendo estes vencido o F. C. Porto por 1-0, em partida disputada no Campo da Rainha.

 

A 18 de Junho, concurso atlético no Campo da Rainha, com a realização das mais diversas provas de atletismo.

 

 

 

A 21 de Setembro, Guilherme do Carmo Pacheco é eleito Presidente do F. C. Porto.

 

 

1912

 

Em Março, em partida disputada no Campo das Laranjeiras, em Lisboa, o F. C. Porto perde frente ao C. I. F. por 2-1.

A 17 de Março, em nova e tradicional visita do Real Fortuna F. C. à cidade do Porto, o F. C. Porto vence os espanhóis por 4-1, naquela que foi a sua primeira vitória internacional.

 

A 11 de Abril, o F. C. Porto conquista a segunda edição da Taça José Monteiro da Costa, vencendo a A. Académica Coimbra por 5-3, depois de ter vencido o Leixões S. C. por 4-0, e o Boavista F. C. por 7-0, esta última partida com 4 goals apontados por Carlos Megre.

 

A 16 de Abril, nova visita dos franceses do Vie Au Grand Air du Médoc, com quem o F. C. Porto empataria 3-3.

 

A 28 de Abril, no Campo da Rainha, derrota por 2-8 em partida amigável frente ao S. L. Benfica.

A 10 de Junho, Joaquim Pereira da Silva assume a Presidência do F. C. Porto.

 

A 3 de Agosto, o F. C. Porto convida o Leixões S. C. para uma reunião nas suas instalações, na Rua da Rainha, com o objectivo de criar a Associação de Futebol do Porto. Em representação do F. C. Porto estão Joaquim Pereira da Silva e João Gonçalves da Cal, aos quais se juntam dois delegados matosinhenses. Após a elaboração dos estatutos e dos regulamentos, oficiam os outros clubes, marcando uma reunião para o dia 10 de Agosto, data em que seria fundada a Associação de Futebol do Porto e realizada a sua primeira assembleia-geral, e onde estaria presente, em representação do F. C. Porto, o seu recém-eleito Presidente Joaquim Pereira da Silva.

A 5 de Outubro, o F. C. Porto retribui a visita do S. L. Benfica, deslocando-se ao Campo das Laranjeiras, em Lisboa, onde perde por 5-1. Pelo F. C. Porto alinham Peter Jansen, Magalhães Bastos, Vitorino Pinto, Américo Pacheco, Charles Allwood, Camilo Figueiredo, Camilo Moniz, Herman Webber, Harrison, John Jones e W. Best.

No dia seguinte, a 6 de Outubro, novamente no Campo das Laranjeiras, vitória sobre o C. I. F. por 3-2.

A 17 de Outubro, em desafio amigável frente ao Boavista F. C, no Campo do Bessa, o F. C. Porto é derrotado por 3-1.

Em 21 de Outubro, face à saída forçada do Campo da Rainha, o F. C. Porto passa a utilizar o Campo da Constituição, pelo qual paga uma renda anual de 350 escudos.

A 4 de Novembro, também a sua Sede passa para as instalações da Constituição.

 

 

1913

 

A 2 de Janeiro, no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde por 5-2 em jogo amigável frente ao The Oporto Cricket and Lawn Tennis Club.

A 26 de Janeiro, no primeiro jogo referente ao “Torneio das Três Cidades”, destinado a celebrar oficialmente a inauguração do Campo da Constituição, o F. C. Porto vence o The Oporto Cricket and Lawn Tennis Club por 1-0. No dia 31 de Janeiro, venceria o Vigo F. C. por 4-0, perdendo, no dia seguinte, em partida com o S. L. Benfica, por 3-1, terminando em segundo lugar.

 

Em Fevereiro, para a Taça José Monteiro da Costa, o F. C. Porto vence, no Campo da Constituição, o Leixões S. C. por 8-0 e o Boavista F. C. por 3-0.

 

A 10 de Março, na última partida, perderia frente à A. Académica Coimbra por 3-1.

 

 

A 21 de Junho, Joaquim Pereira da Silva é reeleito Presidente do F. C. Porto.

 

 

1914

 

A 4 de Janeiro, em jogo a contar para a 1ª mão da final da 1ª edição do Campeonato Regional do Porto, o F. C. Porto perde no Campo do Bessa frente ao Boavista F. C. por 2-1, alinhando com Manuel Valença, José Ferreira, Vitorino Pinto, Magalhães Bastos, Charles Allwood, Harrison, Herman Webber, George Legg, Constantino Encarnação, Gama Lobo e John Jones.

A 1 de Março, na partida da 2ª mão, F. C. Porto e Boavista F. C. empatam 1-1 no Campo da Constituição, tendo alinhado o F. C. Porto com Peter Jansen, Harrison, Vitorino Pinto, Mário Maçãs, Charles Allwood, Magalhães Bastos, Camilo Moniz, Carlos Megre, Constantino Encarnação, George Legg e Ivo lemos. O goal seria marcado por Charles Allwood.

 

A 18 de Maio, inauguração do rinque de patinagem no Campo da Constituição.

A contar para a Taça José Monteiro da Costa, o F. C. Porto bate, no Campo da Constituição, o Leixões S. C. por 8-0 e o Boavista F. C. por 2-0, vencendo também, na última partida, em Coimbra, em 21 de Junho, a A. Académica Coimbra por 3-1, conquistando pela terceira vez em quatro edições a Taça em homenagem ao seu antigo Presidente.

A 15 de Junho, António Borges d´Avellar é eleito novo Presidente do F. C. Porto.

 

 

1915

 

A 28 de Fevereiro, em jogo a contar para a Taça José Monteiro da Costa, o F. C. Porto bate o Leixões S. C. por 3-0. Venceria também o Académico F. C. por 4-3, conquistando-a pela quarta vez em cinco edições.

A 24 de Abril, nova deslocação do F. C. Porto a Vigo, onde voltaria a disputar uma partida amigável com o Real Fortuna F. C., perdendo por 5-0.

1 de Maio, em jogo a contar para a 1/2 do Campeonato Regional do Porto, o F. C. Porto vence o Boavista F. C. por 4-0.

A 16 de Maio, o F. C. Porto conquista pela primeira vez o Campeonato Regional do Porto, ao bater na final o Académico F. C. por 4-3.

A 27 de Junho, António Borges d´Avellar é reconduzido na Presidência do F. C. Porto.

A 20 de Novembro, em partida da 1ª mão da final da edição seguinte do Campeonato Regional do Porto, o F. C. Porto vence o Académico F. C. por 5-1.

 

 

1916

 

A 1 de Janeiro, no Campo de Sete Rios, em Lisboa, a contar para o “Torneio das Quatro Cidades”, o F. C. Porto perde frente ao S. L. Benfica por 9-0, tendo alinhado com Cyril Wright, José Ferreira, Harrison, Mário Maçãs, Napoleão Palma, Pinheiro, Eduardo Coquet, Ivo Lemos, Joaquim Reis, Hamilton e Floriano Pereira. No dia seguinte, em partida com os suíços do Montriond Sports de Lausanne, perde por 6-0.

A 9 de Janeiro, na 2ª mão da final do Campeonato Regional do Porto, no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde frente ao Académico F. C. por 6-2, obrigando à realização posterior de uma finalíssima. Esta, disputa-se em 12 de Março, com vitória do F. C. Porto por 3-2, goals de Floriano Pereira, Hamilton e Herman Webber, possibilitando assim o segundo título de Campeão Regional do Porto.

Em novo desafio frente ao S. L. Benfica, no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde por 3-0.

Para a Taça José Monteiro da Costa, naquela que seria a sua última edição, o F. C. Porto vence o Sport Grupo Salgueiros por 2-1, o Académico F. C., e a 6 de Maio, na última partida, o Boavista F. C. por 2-0, conquistando pela quinta vez e terceira consecutiva a Taça em homenagem ao seu antigo Presidente.

 

 

 

10 de Julho, António Martins Ribeiro é eleito novo Presidente do F. C. Porto.

 

 

1917

 

Em jogo amigável no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde com o S. L. Benfica por 3-1.

A 17 de Fevereiro, o F. C. Porto retribui a visita, deslocando-se a Lisboa, onde, no Campo de Sete Rios, defronta o S. L. Benfica, perdendo por 4-0. Dois dias volvidos, nova partida, perdendo agora por 5-2.

Em jogo amigável no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde frente a Sporting C. P. por 4-1.

A 2 de Março, vitória do F. C. Porto sobre o Académico F. C. por 3-2, a contar para a 1/2 Final do Campeonato Regional do Porto.

A 6 de Abril, no jogo da final, vitória sobre o Boavista por 7-2 e consequente conquista do 3º título de Campeão Regional do Porto.

 

 

A 6 de Agosto, eleição de Henrique de Mesquita como Presidente do F. C. Porto.

 

A 27 de Agosto, em substituição do rinque de patinagem, é inaugurado no Campo da Constituição um campo de lawn-tennis.

 

 

1918

 

A 9 de Abril, Joaquim Vidal Pinheiro, futebolista do F. C. Porto, de apenas 25 anos, sucumbe na Batalha de La Lys, na cidade belga de Ypres, nas Flandres, às mãos dos soldados alemães.

 

A 13 de Abril, é editado o primeiro órgão oficial do F. C. Porto – “Porto Sportivo”.

A 4 de Agosto, reeleição de Henrique de Mesquita para a Presidência do F. C. Porto.

A 14 de Novembro, em jogo da 1/2 final do Campeonato Regional do Porto, vitória do F. C. Porto sobre o Académico F. C. por 2-0. Em Dezembro, no jogo da final, frente ao Sport Porto Salgueiros, o F. C. Porto perde por 2-1.

 

 

 

1919

 

A 28 de Janeiro, em jogo a contar para a 1/2 final do Campeonato Regional do Porto, vitória do F. C. Porto sobre o Académico F. C. por 5-0.

A 15 de Abril, o F. C. Porto conquista novamente o Campeonato Regional do Porto, vencendo na final o Boavista F. C. por 4-1.

Fazem parte da conquista Lino Moreira, Velez Carneiro, Alexandre Cal, Joaquim Reis, Lopes Carneiro, Floriano Pereira, José Ferreira, Henrique Yerro, Magalhães Bastos, Edward Bull, Hamilton, Camilo Moniz, Mário Maçãs, Joaquim Couteiro, Rafael, Hugo Almeida.

A 4 de Maio, em Lisboa, o F. C. Porto perde com o Sporting C. P. por 11-1.

A 10 de Julho, vitória em Coimbra frente à A. Académica por 2-1.

A 3 de Agosto, nova reeleição de Henrique de Mesquita como Presidente do F. C. Porto.

A 19 de Agosto, o F. C. Porto assina novo contrato de arrendamento do Campo da Constituição por 10 anos. Os primeiros 5 anos com uma renda anual de 400 Escudos e os seguintes de 450 Escudos.

A 30 de Novembro, a contar para um torneio quadrangular no Campo da Constituição, o F. C. Porto bate o Sporting C. P. por 2-1, ganhando a competição, que incluía também S. L. Benfica e S. C. Espinho.

 

 

1920

 

A 14 de Março, o F. C. Porto perde no Campo da Constituição frente ao V. F. C. de Setúbal por 2-1.

Para o Campeonato Regional do Porto, o F. C. Porto vence o S. C. Espinho por 6-0. A 12 de Fevereiro, no Campo do Bessa, o Boavista F. C. por 9-0. A 11 de Abril, empata 0-0 com o Académico F. C. E no dia 27 de Junho, no Campo da Constituição, vitória sobre o Académico F. C. por 5-3, conquistando novamente o título.

Vitória, no Campo da Constituição, sobre o S. C. Império por 4-1.

A 3 de Abril, no Campo de Palhavã, em Lisboa, o F. C. Porto vence o S. C. Império por 2-0.

No dia seguinte, a 4 de Abril, novamente no Campo de Palhavã, o F. C. Porto bate o S. L. Benfica por 3-2, com dois goals de Joaquim Reis e um de Alexandre Cal, tendo alinhado com Lino Moreira, Magalhães Bastos, José Ferreira, Velez Carneiro, Floriano Pereira, Lopes Carneiro, Norman Hall, Moreira, Joaquim Reis, Alexandre Cal e Rafael.

Em Junho, vitória no Campo da Constituição sobre o C. F. Belenenses por 4-3.

A 4 de Setembro, António Cardoso Pinto de Faria é eleito como novo Presidente do F. C. Porto.

 

Em Dezembro, no Campo de Palhavã, derrota frente ao S. L. Benfica por 2-0 e empate 3-3 com o Casa Pia A. C.

 

 

 

 

1921

 

A 19 de Janeiro, para o Campeonato Regional do Porto, o F. C. Porto vence, no Campo da Constituição, o Leixões S. C. por 2-1. No dia 24 de Janeiro, no Campo do Bessa, o Boavista F. C. por 1-0. A 16 de Abril, em Espinho, o S. C. Espinho por 2-1. E a 23 de Abril, no Campo da Constituição, o Boavista F. C. por 5-1, conquistando novo título de Campeão Regional do Porto.

A 20 de Março, em Madrid, o F. C. Porto perde perante o Real Madrid C. F. por 3-1, com goal de Alexandre Cal, e no dia seguinte, novamente, desta vez por 2-1.

 

A 27 de Março, em Barcelona, o F. C. Porto é derrotado por 5-1 pelo Club E. Europa, com goal de Francisco Pereira, empatando, 1-1, com goal de Alexandre Cal, em novo jogo disputado no dia seguinte contra o mesmo adversário.

A 5 de Junho, no Campo da Constituição, o F. C. Porto perde frente ao Real Madrid C. F. por 5-0.

O F. C. Porto recebe e vence o C. F. Belenenses por 4-3.

A 12 de Outubro, reeleição de António Cardoso Pinto de Faria como Presidente do F. C. Porto.

à 15 de Outubro, presença dos franceses do Vie Au Grand Air du Médoc na cidade do Porto, para nova partida amigável frente ao F. C. Porto, que se saldou num empate 3-3.